BIGtheme.net http://bigtheme.net/ecommerce/opencart OpenCart Templates

CHOCOLATE & DESEJO – Mitos e verdades na relação com o sexo

Conheça a verdadeira relação do doce número um do inverno e sua libido!

Por Fábio Saltiél – Jornalista

Nada mais natural que o CHOCOLATE – considerado o ‘VIAGRA DOS ASTECAS’ – venha a contar com a sua Data Mundial (07/07), não é verdade?! Apelido justificado pelo cronista o espanhol Bernal Diaz del Castillo ao detalhar as aventuras do imperador Montezuma no século 16. Segundo Castillo, o imperador asteca, antes de encarar seu harém de 200 esposas, bebia 50 cálices seguidos do intrigante líquido de cacau com especiarias – o CHOCOLATE. Oviedo y Valdés, outro historiador daquela época, confirma a associação entre o fruto do cacaueiro e o sexo para o povo pré-colombiano.

chocolate impotencia

Começava ali, nos relatos daquela civilização fascinante, a associação do chocolate ao sexo, que passou pela nobreza francesa da época dos Reis Luíses e perdura até hoje, como provam calcinhas e pênis comestíveis dos sex shops e as altas de faturamento nas lojas de chocolate perto do Dia dos Namorados. Mas qual é a resposta da ciência para esse suposto efeito afrodisíaco? O chocolate dá mesmo no couro?

Dr. Sérgio Iankowski – especialista em Andrologia

“A sensação de estar apaixonado – quando perdemos o apetite, o sono e não conseguimos nos concentrar em mais nada – tem a ver com um conjunto de compostos químicos que afetam o nosso cérebro: a norepinefrina, que nos excita (e dá aquela acelerada nos batimentos cardíacos), a serotonina e a dopamina (que entram com a sensação de bem-estar, aquela felicidade diante da alma gêmea). E a ação desses neurotransmissores é controlada por um outro: a feniletilamina”, alerta o médico especialista em saúde e sexualidade masculina, Sérgio Iankowski.

 

No entanto, a feniletilamina é rapidamente degradada no sangue, de modo que, pela ingestão do chocolate, não haveria possibilidade de atingir uma concentração elevada no cérebro.  “O chocolate tem zinco, um mineral que atua nos hormônios sexuais, mas não é numa quantidade representativa. Se você estiver num jantar romântico, com chocolate, morango e champanhe, à luz de velas, a coisa muda de figura. Então o contexto é que aumenta o desejo. A reação é mais cultural que científica”, concluí o médico.

 

 

Recomendados para você:

Sobre almy

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *